O portal UOL publicou uma matéria muito bacana sobre os MITOS e VERDADES que envolvem a LIPOASPIRAÇÃO e a LIPOESCULTURA.

A época não poderia ser mais propícia para falar sobre isso, afinal, com a exposição do corpo no verão, muita gente procura consultórios de cirurgiões plásticos para se informar e agendar procedimentos que afinam o corpo, como a lipoaspiração e a lipoescultura, técnicas indicadas para quem deseja ajustar o contorno corporal, retirando o excesso de gordura de determinadas áreas.

VERDADE: lipoaspiração é uma coisa, lipoescultura é outra.
VERDADE: é recomendável realizar lipoaspiração ou lipoescultura com um cirurgião plástico
MITO: como são procedimentos simples, podem ser feitos em consultório.
MITO: tanto a lipoaspiração quanto a lipoescultura emagrecem.
MITO: depois da cirurgia, a pessoa nunca mais engorda.
VERDADE: no processo de lipoaspiração, muitas células de gordura são eliminadas.
MITO: a cicatrização é melhor no inverno.
VERDADE: o processo de recuperação de ambas as cirurgias é tranquilo.
VERDADE: como qualquer outra cirurgia, a lipoaspiração e a lipoescultura oferecem riscos.
VERDADE: há casos em que as cirurgias não devem ser feitas.
VERDADE: para que os resultados da lipo se mantenham, é preciso fazer dieta e exercícios.
VERDADE: há novidades na área de lipoaspiração.

Os dois procedimentos são semelhantes e muitas vezes complementares. Mas, embora toda lipoescultura envolva uma lipoaspiração, o contrário não é verdade

A lipoaspiração é uma cirurgia que, por meio de cânulas metálicas conectadas a um aparelho de sucção, aspira a gordura resistente de determinadas áreas. Já a lipoescultura é um procedimento no qual se aspira a gordura que, depois, é reinjetada em outros locais, esculpindo a silhueta.
Ambas cirurgias são realizadas com o objetivo de melhorar o contorno corporal, ajudando o paciente a se livrar de acúmulos de gordura que não são normalmente melhorados apenas com dieta e exercícios físicos. As duas cirurgias não devem ser empregadas para o emagrecimento. Em alguns casos, há perda de peso, porém esta não é significativa. E, que fique claro, não é a quantidade de quilos retirados que define o resultado.

A manutenção do resultado satisfatório depende não só da cirurgia, mas, também, dos cuidados do próprio paciente. A alimentação adequada e os exercícios físicos regulares são essenciais para a permanência dos resultados e para que se obtenha boa condição de saúde.

E um dado importante levantado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, com participação da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é que a lipoaspiração voltou a ser a cirurgia plástica mais realizada no Brasil – em 2007, foi ultrapassada pelo aumento de mama, mas já voltou à liderança.